Castelo de Neuschwanstein de Luis II, Baviera

Visita ao Castelo de Neuschwanstein de Luis II da Baviera, os contos de fadas, a Cinderela e o Palácio da Pena em Sintra!

Castelo de Neuschwanstein, Luis II, Baviera
Castelo de Neuschwanstein, Luis II, Baviera

A ideia do Castelo

Uma visita ao Castelo de Neuschwanstein vale não só pelo encanto da área envolvente de exuberante floresta, no sopé dos Alpes, mas também pelo ambiente de encantamento que nos sugere a sua arquitetura.

É um dos Palácios mais famosos da Europa por ter sido a fonte de inspiração para o Castelo da Cinderela, da fada madrinha e do príncipe encantado, uma criação de Walt Disney.

O Castelo foi idealizado e construído pelo Imperador Luis II da Baviera, conhecido por Luis, o Louco.

Luis II tinha Richard Wagner como seu amigo e protegido e inspirou-se nas suas ideias e obras. O nome Neuschwanstein é uma referência ao “Cavaleiro do Cisne” de Lohengrin, da Ópera de Wagner com esse nome. Originalmente o Castelo era a sede dos cavaleiros de Schwangau cujo brasão era o Cisne e daí o nome da Ópera de Wagner e do Castelo.

A construção do Castelo de Neuschwanstein

A construção deste Castelo teve início em 5 de setembro de 1869 e foi desenhado por um criador de cenários teatrais, em vez de um arquiteto, tal era a ideia de Luis II para criar um Palácio deslumbrante, com o encantamento dos contos de fadas, como se tornou a Cinderela.

Claro que a obra teve sempre a supervisão de Arquitetos da Corte dado que a sua construção, num local acidentado, era difícil.

A localização

O local foi escolhido por Luis II que conhecia muito bem a zona, no Sul da Baviera, pois lá passava temporadas com a sua mãe, quando criança, no Castelo de Hohenschwangau, em frente ao que idealizou.

O Castelo não chegou a ser finalizado mas Luis II viu concluídas algumas salas, as quais habitou por pouco tempo. A sala do trono, a sua suite, uma sala com uma pequena cascata, em forma de gruta, a cozinha equipada com água quente e fria, o seu gabinete, a sala de jantar e o Hall dos Cantores, local para os músicos e dramaturgos atuarem. A sala do trono não tem trono, dado que Luis II morreu antes de o mesmo estar pronto.

 

Luis II da Baviera, visionário e tecnólogo

Luis II recorreu à tecnologia mais moderna da sua época, como seja a introdução da electricidade na Baviera e, na estrutura dos seus Castelos, usou o mais recente à época, incluindo engenhos a vapor e elétricos, ventilação e canalizações para a água e aquecimento. Foram contratados muitos artesãos de várias artes para a construção de mobiliário e de todos os detalhes decorativos.

Castelo de Neuschwanstein Baviera
Castelo de Neuschwanstein Baviera

A deposição de Luis II da Baviera

Dois anos após a sua subida ao trono da Baviera, esta foi anexada pela Prussia e, posteriormente, englobada no Império Alemão.

Na sequência dessa evolução Luis II dedicou-se aos seus projetos criativos. Assim, gastou todas as suas rendas e contraiu empréstimos junto das casas reais europeias, para a concretização das suas ideias.

Luis II inicia, então, amizade com uma prima distante, a duquesa Isabel da Baviera, conhecida por Sissi. Esta, ficou para a história como uma Cinderela Imperial e viria a casar com Francisco José I, Imperador da Austria e Hungria. Ficou, depois, noivo da duquesa Sofia Carlota da Baviera, irmã de Sissi, mas o noivado foi sucessivamente adiado e, por fim, cancelado.

O seu comportamento extravagante, os gastos que fazia e a derrocada financeira da Baviera, originaram um movimento de contestação que culminou com uma declaração de insanidade de Luis II e com a sua prisão, em 12 de junho de 1886.

Castelo de Neuschwanstein Luis II Baviera
Castelo de Neuschwanstein Luis II Baviera

A morte Misteriosa

A 13 de Junho de 1886, primeiro dia do seu cativeiro, Luis II foi passear com um dos psiquiatras responsáveis pela declaração da sua insanidade, no bosque do Palácio onde o instalaram. Desapareceram ambos nesse mesmo dia e os seus corpos foram encontrados, mais tarde, a flutuar no lago. A causa das mortes é, ainda hoje, muito discutida e envolta em mistério.

O Palácio da Pena em Sintra, por vezes chamado o Neuschwanstein Português

O Palácio da Pena, contemporâneo do Castelo de Neuschwanstein, foi idealizado por D. Fernando II que crescera em terras da sua família, Saxe-Coburgo-Gota-Kohary, na atual Eslováquia e nas Cortes Austríaca e Germânica, foi Príncipe Consorte no reinado de D. Maria II.

Por morte da Rainha foi Regente de D. Pedro V, até 1855.

Fernando II foi conhecido como o Rei Artista pelo impulso que deu às artes em Portugal.

Não perca uma visita ao Castelo de Neuschwanstein na Baviera e sonhe com a Cinderela

Castelo de Neuschwanstein e a Cinderela
Castelo de Neuschwanstein e a Cinderela

Não perca os próximos artigos. Registe o seu mail, para ser notificado gratuitamente dos nossos novos artigos.

Siga o Pássaro no Ombro numa das redes sociais em que estamos.

Partilhe este artigo, na sua rede social preferida.

Faça um comentário e dê as sugestões que entender.


 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.