Bairro da Mouraria, Rua do Capelão, Largo da Severa, o Fado mora em Lisboa

O fado mora em Lisboa e nasceu no Bairro da Mouraria. Vamos andar pela Rua do Capelão, Largo da Severa. Passamos pelas casas da Severa, do Fernando Maurício e da Mariza.

O Bairro da Mouraria é um dos mais antigos de Lisboa.

É um bairro que rivaliza com Alfama, na disputa da origem do fado, embora hoje se reconheça que terá sido neste Bairro da Mouraria, o berço do fado.

O fado mora em Lisboa, no Bairro da Mouraria!

À entrada da Rua do Capelão, a escultura da guitarra portuguesa, indica-nos o caminho e conduz-nos por essas ruas cheias de história.

Deixemo-nos ir por esses becos e vielas, onde as janelas e as portas das casas parecem cada uma delas querer contar a sua história.

Vamos pela Rua do Capelão, Largo da Severa (ou Beco da Severa) e Beco da Jasmim.

A dado momento, admiramos a estátua de Fernando Maurício e passamos pela “mui nobre” Rua Marquês de Ponte do Lima, Travessa dos Lagares, enfim vagueamos por onde o fado também respira. Sim, o fado mora em Lisboa e sente-se essa característica …

Alfama encontra-se na descida da encosta que vem do Castelo de S. Jorge para o rio, o bairro da Mouraria, na descida para o lado contrário, na zona mais escura da encosta do Castelo e vem terminar na Praça do Martim Moniz.

Continue reading “Bairro da Mouraria, Rua do Capelão, Largo da Severa, o Fado mora em Lisboa”

Siga-nos e faça um Like:

Nazaré, terra de ondas gigantes: de D. Fuas Roupinho a Garret Mc Namara

A história da Imagem da Nossa Senhora da Nazaré, a lenda da Nazaré e o milagre que salvou D. Fuas Roupinho, passando pelo surf dos anos do “peace and love” até às ondas gigantes do canhão da Nazaré e o record da maior onda surfada do mundo. Tudo se conta com imagens e videos empolgantes.

D. Fuas Roupinho não surfava ondas gigantes, mas é uma notável figura da Nazaré.

Dom Fuas, foi um dos fiéis companheiros de D. Afonso Henriques, possivelmente um dos  Cavaleiros da Ordem dos Templários, que viria a ser extinta em 1312.

Foi o primeiro Almirante da Armada Portuguesa e ficou para as histórias da Nazaré por ter estado envolvido num célebre acontecimento, em tempos idos, registado como a “Lenda da Nazaré”.

Reza a “Lenda da Nazaré” que, ao raiar do dia 14 de setembro de 1182, D. Fuas Roupinho, Alcaide do Castelo de Porto de Mós, fazia a sua caçada perto da orla marítima. Nessa manhã, o nevoeiro era denso e no afã da perseguição a um veado, D. Fuas não se terá apercebido da proximidade da falésia, que tão bem conhecia.

Sítio da Nazaré, A Falésia, DGPC/SIPA foto 00915232, Paula Noé, 2012.
Sítio da Nazaré, A Falésia, DGPC/SIPA foto 00915232, Paula Noé, 2012.

E, quando deu conta que estava à beira do abismo, perto da gruta onde se venerava a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, sentiu a sua hora chegar e, in extremis, gritou:

“Senhora, Valei-me!”

Continue reading “Nazaré, terra de ondas gigantes: de D. Fuas Roupinho a Garret Mc Namara”

Siga-nos e faça um Like:

Locais a visitar, Palácio dos Condes de Óbidos em Lisboa

Um dos locais a visitar, é o Palácio dos Condes de Óbidos. Painéis de azulejo, lustres de cristal e uma biblioteca deslumbrantes. Uma visão magnífica sobre a Gare Marítima de Óbidos. Actualmente é a sede da Cruz Vermelha Portuguesa. Um dos sítios lindos de Lisboa e que merece a sua visita. Local a não perder em Lisboa.

Ao planear os nossos passeios em Portugal, procurámos por locais a visitar em Lisboa, pontos de interesse que não estivessem nas rotas ditas normais.

Um dos locais a visitar, o Palácio dos Condes de Óbidos, um Palácio escondido e que é preciso saber encontrar. Em frente à Rocha Conde de Óbidos.

Foi construído no século XVII e passa para a Cruz Vermelha Portuguesa em 1919.

Da Rocha Conde de Óbidos, avista-se o Palácio.

Visita a não perder. Palácio dos Conde de Óbidos vista da Gare Maritima
Palácio dos Conde de Óbidos vista da Gare Maritima

Conde de Óbidos foi um título nobiliárquico atribuido pelo Rei D. Filipe III a D. Vasco Mascarenhas, que fora Vice-Rei da India e do Brasil.

Neste palácio residiu o artista Jorge Colaço, autor de um magnífico painel de azulejos, exposto no terraço, alusivo à chegada às Terras de Vera Cruz, o Brasil. Aqui chegaram os primeiros ocidentais com Pedro Álvares Cabral ao comando das 13 naus da viagem.

Locais a visitar. Painel de Azulejos descoberta de Vera Cruz
Painel de Azulejos descoberta de Vera Cruz
Descobrir Portugal. Painel de Azulejos Pedro Alvares Cabral
Painel de Azulejos Pedro Alvares Cabral

Um dos locais a visitar é a varanda do Palácio, da qual podemos ver em frente a Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos.

A Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, construída em 1948 é também um dos locais a visitar, com pinturas murais de Almada Negreiros.

O Palácio Conde de Óbidos, também é conhecido por Palácio da Rocha, com origem na sua localização, implantado em cima de um enorme monte rochoso, que por ser tão alto, de lá se avista o rio Tejo.

Locais a visitar. Palácio dos Conde de Óbidos vista para a Gare da Rocha Conde de Óbidos
Palácio dos Conde de Óbidos vista para a Gare da Rocha Conde de Óbidos

São muitos e variados os painéis de azulejos e pinturas de fresco. Mesmo a entrada, na fachada principal, está ladeada por seis painéis de azulejos da autoria do Coronel Vitória Pereira e desenhados em 1937, com figuras de um fidalgo, de um alabardeiro, isto é, um homem armado de alabarda, ou archeiro e de uma dama. Na sala de jantar, podemos apreciar outros painéis da sua autoria e que representam curiosas cenas palacianas.

O átrio do Palácio dos Condes de Óbidos, ostentando os bustos do rei D. Luís I e da rainha D. Maria Pia, protetores da Cruz Vermelha em Portugal, dá acesso à Biblioteca.

Palácio Conde de Óbidos Busto de D Luis I
Palácio Conde de Óbidos Busto de D Luis I
Palácio Conde de Óbidos Busto de D Maria Pia
Palácio Conde de Óbidos Busto de D Maria Pia

Na Biblioteca, destaca-se um grande lustre de cristal, fabricado na Marinha Grande e o teto tem uma pintura representando a Paz de Alvalade, na qual a Rainha Santa Isabel surge montada num burro, entre o Rei D. Dinis e seu filho D.Afonso IV.

Local a visitar, a Biblioteca do Palácio Conde de Óbidos e não perder o Lustre.
Local a visitar, a Biblioteca do Palácio Conde de Óbidos e não perder o Lustre.
Palácio Conde de Óbidos Biblioteca
Palácio Conde de Óbidos Biblioteca

Nas paredes das várias salas do Palácio Conde de Óbidos, podem ver-se retratos dos presidentes da Cruz Vermelha Portuguesa, como na Sala D. João de Castro, entre os quais o de Maria de Jesus Barroso.

Palácio Conde de Óbidos sala D. João Castro
Palácio Conde de Óbidos sala D. João Castro

Este é um dos locais a visitar, de grande interesse e a não perder em Lisboa. Veja também a Rocha Conde de Óbidos.

O Palácio dos Condes de Óbidos pode ser visitado, com marcação prévia, como se pode verificar no site da Cruz Vermelha nas “Visitas Guiadas”, bastando, para isso, clicar na imagem abaixo, que representa a entrada principal do Palácio. Chega-se através do Jardim 9 de Abril e ao lado do Museu Nacional de Arte Antiga, o antigo Palácio dos Condes de Alvor.

Um dos locais a visitar. Palácio dos Condes de Óbidos Entrada. Actual Sede da Cruz Vermelha Portuguesa.
Entrada Palácio dos Condes de Óbidos Actual Sede da Cruz Vermelha Portuguesa.

Um olhar rápido pelo interior deste Palácio, um dos sítios de Lisboa para visitar e encantar.

Continuaremos a escolher e partilhar locais a visitar como outros Palácios dentro ou fora de Lisboa.

Esperamos que goste do Palácio encantador, faça like, siga os nossos posts, comente e partilhe! Obrigado.

Fotos 1, 7 e 10 gentilmente cedidas pela Cruz Vermelha Portuguesa.
Siga-nos e faça um Like: