Visitar Belmonte, berço de Pedro Álvares Cabral e terra de Judeus

Visitar Belmonte, berço de Pedro Álvares Cabral. O Castelo de Belmonte que foi a casa da família Cabral. A Comunidade Judaica, escondida mais de 500 anos!

Visitar Belmonte, no sopé da Serra da Estrela e é uma das vilas portuguesas mais relacionadas com a epopeia dos Descobrimentos, tendo recebido a sua Carta de Foral de D. Sancho I, 2º Rei de Portugal, em 1199.

Aqui nasceu Pedro Álvares Cabral em 1467 e passou a sua infância, antes de partir para a descoberta de novos mundos.

Estátua de Pedro Álvares Cabral
Estátua de Pedro Álvares Cabral

Andamos pelas ruas para visitar Belmonte e nas fachadas das suas casas descobrimos as histórias dos últimos judeus “secretos”.

Encantamo-nos com os locais que acolheram a última comunidade Cripto-Judaica da Península Ibérica.

História

Pedro Álvares Cabral, o Navegador, pertencia à família dos Alcaides de Belmonte e descobriu o Brasil no Século XV.

É impressivo o relato dessa descoberta na carta de Pero Vaz de Caminha, atualmente na Torre do Tombo.

Reza a carta, a certa passagem:

(22 de abril de 1500)

“E quarta-feira seguinte, pola manhã, topámos aves, a que chamam fura-buchos.

Neste dia, a horas de véspera, houvemos vista de terra!

Primeiramente de um grande monte, … Ao monte alto o capitão pôs nome o Monte Pascoal e à terra, a Terra da Vera Cruz”.

Carta de Pero Vaz de Caminha
Carta de Pero Vaz de Caminha

A grande festa de Belmonte é a 26 de Abril, data da primeira missa que se celebrou em campo aberto no Brasil.

O Castelo de Belmonte

O Castelo de Belmonte foi sendo melhorado por vários Reis, como muralha contra as incursões leonesas e castelhanas.

Castelo de Belmonte Vista Aérea
Castelo de Belmonte Vista Aérea, DGCP/SIPA Foto 00507203

A coragem e lealdade à Coroa da família Cabral foi reconhecida e Fernão Cabral, pai de Pedro Álvares Cabral, foi nomeado a título hereditário, o primeiro Alcaide Mor de Belmonte, por D. Afonso V em 1466.

O Castelo de Belmonte foi passando por várias transformações e Fernão Cabral acabou por adaptar esta edificação militar como casa senhorial e onde a família Cabral passou a residir.

Visitar Belmonte. Castelo de Belmonte
Castelo de Belmonte, janela manuelina e cruz de pau

Ainda existem vestígios romanos nesta vila. Iniciando a caminhada pela calçada romana vamos ao encontro da História e da Comunidade Judaica.

No Castelo, uma magnífica janela manuelina e uma imponente Cruz de Pau, réplica da que foi levada por Pedro Álvares Cabral e usada na primeira missa campal celebrada no Brasil em 26 de Abril de 1500, destacam-se sob o céu azul.

Na Torre do Castelo há duas Bandeiras hasteadas, a Portuguesa e a Brasileira.

Quando se apercebem, os que estão a visitar Belmonte, quer portugueses quer brasileiros e passam pelo Castelo de Belmonte, ficam comovidos e deixam-no transparecer nos olhares que se entrecuzam.

Comunidade Judaica

A comunidade Judaica de Belmonte tem muitas particularidades. Na altura da expulsão dos Judeus de Portugal e de Espanha, pela Inquisição, no Século XVI obrigou os que aqui viviam a terem de sair do País ou a converterem-se ao catolicismo.

Alguns saíram, outros converteram-se, outros ainda, formalmente convertidos, mantiveram as suas tradições judaicas e culto em segredo no seio da família.

Em Belmonte, um grupo de judeus isolou-se do resto do País e dando continuidade às suas  tradições judaicas, às escondida, muito embora muitos conterrâneos o soubessem. Nas suas casas colocaram cruzes para manifestarem a sua conversão, mas alguns símbolos judaicos ficaram, sem ser notados. Há quem diga que os descendentes dos judeus sefarditas portugueses e espanhóis que se converteram ao catolicismo, contra a sua vontade, se chamariam Marranos, por não comerem carne de porco. Etimologicamente é termo similar ao que se usa no Alentejo para designar uma porca nova, a “marrã”.

Candelabro de 9 braços
Candelabro de 9 braços

Os Marranos de Belmonte conseguiram manter as suas tradições até aos dias de hoje, sendo um caso invulgar de uma comunidade criptojudaica, aqui instalada há mais de 500 anos.

Em 1970, a comunidade judaica estabeleceu contacto com Israel e tornou oficial a sua existência.

Sinagoga Bet Eliahu
Sinagoga Bet Eliahu

Em 2005 foi inaugurado o Museu Judaico de Belmonte que mostra as tradições e a forma própria de viver da Comunidade Judaica.

Igreja de Santiago e Panteão dos Cabrais

Ao visitar Belmonte, deparamo-nos com o Panteão da família Cabral. Na Igreja de Santiago, encontramos as sepulturas da família Cabral, ladeadas por belas pinturas murais.

Igreja de Santiago
Igreja de Santiago
Pinturas Murais
Pinturas Murais
Panteão dos Cabrais
Panteão dos Cabrais

A Lenda de Belmonte

Entre as lendas que existem por estas terras, uma delas se destaca, a Lenda da Cabra e do Cabrito.

No sonho de um pastor três noites seguidas a voz dizia “Vai a Belém que lá está teu bem”. E o pastor andou dias e noites à procura de Belém e acabou por encontrar debaixo de uma pedra um tesouro enterrado. De lá retirou uma cabra e um cabrito, em ouro maciço. Apressou-se a contar a descoberta ao seu Rei a quem perguntou se queria a cabra ou o cabrito. A escolha de Sua Alteza foi para o cabrito, pois seria um melhor petisco. Quando se apercebeu que o cabrito não era de carne e osso mas em ouro, o Rei louvou a esperteza do pastor e este, de seguida, ofereceu também a cabra. Em reconhecimento por tão valiosas ofertas o Rei ordenou que se desse ao pastor tudo o que a vista alcançava do alto da serra de Belmonte.

Assim nasceu a vila e o senhorio dos Cabrais, em cuja Brasão de família estão representados a cabra e o cabrito.

Brasão da família Cabral, com a cabra e o cabrito
Brasão da família Cabral, com a cabra e o cabrito

Museu dos Descobrimentos

Ao visitar Belmonte, não se pode perder o Museu dos Descobrimentos.

Inaugurado em 2009, tem 16 salas que muito bem ilustram a epopeia e onde facilmente nos perdemos e encontramos, pois os módulos interativos levam-nos a navegar em Caravelas, tentando aportar a locais abrigados, revivendo aqueles tempos. Até chegamos às novas cores, sons e gentes!

Siga o Pássaro no Ombro numa das redes sociais em que estamos.

Partilhe este artigo, na sua rede social preferida.

Faça um comentário e dê as sugestões que quiser.

E não esqueça, junte-se à nossa rede de seguidores, registando o seu mail para ser notificado de novos artigos.

Siga-nos e faça um Like:

2 thoughts on “Visitar Belmonte, berço de Pedro Álvares Cabral e terra de Judeus”

    1. … onde está ‘exceção’ deverá estar ‘EXCELENTE’…
      …este corrector automático prega-nos cada partida…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.