Museu Anjos Teixeira, Sintra

O Museu Anjos Teixeira, inaugurado pela Câmara de Sintra, mostra obras de dois grandes escultores portugueses, pai e filho. Artur e Pedro Anjos, apresentam temas desde a anatomia humana e animal, o trabalho, a liberdade e figuras históricas e religiosas.

O Museu Anjos Teixeira

Museu Anjos Teixeira, inicialmente da Câmara de Sintra
Museu Anjos Teixeira

 

É um Museu pouco conhecido, inaugurado pela Câmara de Sintra em 1976 e que aloja as obras de dois grandes escultores portugueses.

Passamos por ele e não prestamos atenção à placa que o sinaliza.

O Museu Anjos Teixeira, ocupa uma antiga azenha que aproveitava o caudal do Rio do Porto que por ali passava.

A Câmara de Sintra após outras utilizações deste espaço, transformou-o em Museu para receber as obras doadas pelos escultores portugueses, Artur Anjos Teixeira e Pedro Anjos Teixeira, pai e filho.

Por acordo com a Câmara de Sintra, o Mestre Pedro Anjos, a partir de 1977 fez do Museu a sua casa e nela ministrava aulas de escultura a jovens aprendizes.

Artur Anjos Teixeira

O Mestre Artur Anjos Teixeira nasceu em 1880, em Lisboa, onde estudou na Escola de Belas Artes.

Foi para Paris em 1907.

Artur Anjos Teixeira, um dos grandes escultores portugueses
Artur Anjos Teixeira

Em Paris, o Mestre expôs um busto de Aquilino Ribeiro, atualmente no Museu Grão Vasco em Viseu e a obra “O Fauno e a Ninfa”, hoje em exposição no Museu do Chiado em Lisboa.

São também conhecidas as suas obras em Viseu, o “Monumento aos Mortos da Grande Guerra”, em Cascais o “Monumento ao Regimento de Infantaria 19”, em Vila Real a “Estátua de Carvalho Araújo” e em Lisboa, na Avenida da Liberdade, um monumento a Luís da Costa Monteiro.

A “República” que fez para o Palácio de S. Bento, ilustra a vertente dramática da sua obra.

O Mestre Anjos Teixeira, Pai, faleceu em 1935.

Pedro Anjos Teixeira

Pedro Anjos Teixeira, também escultor, nasceu em Paris em 1908 e faleceu em Sintra em 1997.

Pedro Anjos Teixeira
Pedro Anjos Teixeira

Entre as obras que criou está neste Museu a estátua de “Tristão Vaz Teixeira”, um dos descobridores da Madeira, de 1971.

Tristão Vaz Teixeira
Tristão Vaz Teixeira

 

Pedro Anjos foi, em 1959, para o Funchal, onde mostrou toda a sua versatilidade.

Além da escultura também se dedicou ao teatro, onde foi ator e cenógrafo, bem como à música. No Funchal formou a Orquestra de Câmara e aí tocava viola de arco.

Voltou a Sintra em 1977.

Presidiu à Sociedade Nacional de Belas Artes e foi Professor de várias disciplinas ligadas às artes, na Escola António Arroio em Lisboa.

Desenvolveu, como o seu Pai um conjunto de personagens ligados ao mundo do trabalho. Um exemplo é o monumento ao trabalhador rural de 1957.

Monumento ao Trabalhador Rural
Monumento ao Trabalhador Rural

À entrada do Museu está a obra “Os Perseguidos”, realizada em 1969.

Os Perseguidos
Os Perseguidos

A não perder a obra destes escultores portugueses, na sua próxima visita a Sintra.

Siga o Pássaro no Ombro numa das redes sociais em que estamos.

Partilhe este artigo, na sua rede social preferida.

Faça um comentário e dê as sugestões que entender.

E não esqueça, junte-se à nossa rede de seguidores, registando o seu mail para ser notificado de novos artigos.


 

Siga-nos e faça um Like:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.